…lidando com a história…

Percebe-se em algumas pessoas e instituições grande dificuldade em lidar com a história. A história de um indivíduo ou de uma instituição jamais deve ser desprezada, pois ela tanto dá sentido ao ser e fazer no presente como robustece as expectativas em relação aos sonhos do futuro. A história é referência, é alicerce sobre o qual se constrói uma existência, é identidade, e, portanto, jamais deve ser desprezada.

Mas de certa forma a história pode ser uma benção ou uma maldição. Ela é benção quando a compreendemos como uma identidade que dá sentido a nossa existência e como base sólida sobre a qual se constrói uma vida, mas torna-se maldição quando nos aprisiona no passado.

A experiência do passado por melhor que tenha sido é apenas parte do todo. Ela foi capaz de produzir o que sou e faço hoje me dando condições de construir um amanhã melhor. Tornar-se refém do passado é tornar-se prisioneiro, escravo. E quando isso acontece paralisamos e passamos a ter sérias dificuldades para seguir em frente.

Muitas pessoas tornam-se reféns da sua história por terem vivido momentos tão marcantes especiais no passado que não conseguem por uma série de razões realizarem-se no presente, pois não admitem que hoje possa ser melhor que ontem. Seja por pessimismo ou saudosismo, presos ao passado da história tornam-se improdutivos e ineficientes no presente.

Outras tantas pessoas tornam-se reféns das dores do passado. A experiência dura e sofrida produz tamanha insegurança e medo, ou em outros casos revoltas que inibem qualquer possibilidade de conquista ou progresso no presente.

As duas questões levantadas são formas equivocadas de lidar com a história. Na verdade como já dissemos a história passada é material para continuar a escrevê-la no presente motivado pelas possibilidades que se abrem no futuro. É combustível para produzir a energia necessária para enfrentarmos os desafios do presente e seguir em direção a um futuro potencialmente melhor.

As experiências boas ou más são experiências que nos ensinaram algo e nos tornaram melhores ou piores, e que influenciam de modo importante nosso presente. Vivamos a história presente sonhando a história futura sem negar a história passada nem tampouco sendo dela refém. Olhemos para trás para saber quem somos e para lembrar o que aprendemos errando ou acertando e assim, teremos sabedoria para viver o presente e construir o futuro.

Quero encerrar com duas frases interessantes:

Mario de Andrade: “O passado é lição para refletir, não para repetir”.

Carlos Bregantim: “Tanto os melhores momentos da vida quanto os piores que já vivemos, hoje, já é passado. Administrar bem as memórias determina a saúde no presente”.

Anúncios

~ por celsommachado em 25/08/2010.

2 Respostas to “…lidando com a história…”

  1. Verdade mano! Como somos reféns do passado! Lembrei de uma frase do Pablo Neruda: “…Saudade é amar um passado que ainda não passou,
    É recusar um presente que nos machuca,
    É não ver o futuro que nos convida…” Libertemo-nos! Obrigado por compartilhar da sua sensibilidade, tão escassa nesses dias!! Você é muito importante pra mim! God bless you!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: