…humanos ou semideuses…

O tema “Relacionamento com Deus” está presente na maioria das homilias ou pregações nos templos cristãos ao redor do mundo. Podemos perceber a existência de certo tom místico em torno desta proposta. Algumas pessoas acabam desenvolvendo fórmulas “mágicas” com o objetivo de produzir um relacionamento concreto, íntimo e verdadeiro com Deus. Só que quase sempre estas fórmulas e regras acabam complicando o evangelho do Reino que na verdade é simples. As expectativas produzidas por estas fórmulas, por não refletirem a verdade, fazem da frustração o fruto a ser colhido depois de todo o esforço empreendido. Isso porque elas apontam na direção de nos tornarmos algo semelhante a “super homens” e “mulheres maravilha” da fé. Ou seja, vida com Deus acaba sendo sinônimo de uma vida sobrenatural, insensível, totalmente à parte do mundo e da história. E aí está o grande equívoco, na verdade quanto mais nos aproximamos de Deus e estreitamos o relacionamento com ele mais humanos nos tornamos. Mais humanos no sentido de reconhecer nossas limitações e fragilidades a ponto de solidificarmos uma relação de dependência com nosso Deus. Mais humanos no sentido de entendermos que não somos melhores que nenhum outro ser humano. E que isso nos leve a não excluir os diferentes, mas a agregar o máximo possível em torno do Senhor. Mais humanos no sentido de que frente a frente com as nossas limitações, sejamos mais misericordiosos com nosso próximo.

Desde a queda, Deus trabalha na restauração do relacionamento do homem consigo e seu objetivo não é nos tornar pequenos deuses, mas, humanos melhores fazendo diferença tal qual o sal e a luz em um mundo complexo, sem sabor, em estado de putrefação e escuro. Humanos que melhoram caminhando na direção da plenitude da estatura de Cristo. O discípulo de Jesus não deve ter medo de ser plenamente humano, pois esta será sempre a evidência em sua vida de um relacionamento íntimo com Deus, como vemos no exemplo bíblico clássico de Davi, considerado um homem segundo o coração de Deus com toda a sua humanidade a flor da pele.

 Mas como lidar com as limitações e fraquezas que são inerentes ao ser humano? Lucas 9:23, continua valendo: negar a si mesmo; tomar a cruz; seguir a Jesus. Vemos neste texto a indicação do caminho do discipulado, entendendo que não se trata de uma caminhada fácil e que seu objetivo não é nos tornar super homens, mas humanos segundo o coração de Deus. O seu objetivo é nos fazer viver a humanidade planejada desde o início pelo Senhor, onde haja espaço para rir, se divertir, chorar e errar. E ainda Hebreus 4:15 que também nos consola e trás esperança quando diz: “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado”.    

 A obra de salvação realizada pelo Deus Triúno é maravilhosa em todos os seus aspectos. Trata-se de uma grande obra de arte, onde o amor é levado a sério e às últimas conseqüências. Não consiste apenas em livrar as “almas” dos homens do inferno, mas tem como propósito a restauração integral do ser humano e do seu relacionamento com Deus. Creio que por isso Deus fez com que ele nascesse de uma mulher e experimentasse a vida humana como criança, como adolescente, como jovem e como adulto. Esta experiência de vida não envolveu apenas aspectos positivos e sensações agradáveis, mas permitiu que nosso Senhor sentisse o sabor das limitações e fraquezas humanas. O escritor aos Hebreus diz que Jesus foi tentado em todas as coisas à nossa semelhança, mas sem pecado. Por ter experimentado a sensação de fraqueza que a carne tem diante das tentações é que Jesus nos entende. É por ter lutado, em um corpo como o nosso, contra a pressão que sofre a carne diante da tentação, que ele nos entende. É por ter tido a experiência de resistir a carne quando esta se inclinava com facilidade para as tentações, que ele nos entende e se importa conosco.

 A Bíblia diz que o ministério do Senhor Jesus hoje é interceder por nós junto ao Pai. Diante disso entendemos ter sido de vital importância para nós a sua encarnação, a sua experiência como homem. Deve alegrar o nosso coração o fato de saber que nosso advogado ou intercessor diante do Pai conhece por experiência as nossas fragilidades e isso torna sua intercessão a nosso favor é realmente eficaz. Esta intercessão põe em ação a maravilhosa graça e principalmente as misericórdias de Deus Pai, pois sem elas seríamos consumidos.

 Alguns não gostam da graça por a acharem de certa forma frouxa, mas digo que não é porque Jesus, nosso mestre, pensava com graça e agiu com graça na terra. Temos exemplos da graça em ação na forma como ele tratou a mulher pega em adultério; na vida de Zaqueu; etc… Pensar de outra forma é abraçar a visão farisaica de viver a vida que caracteriza-se por uma hipocrisia religiosamente vazia. Não podemos negar a graça e pois sem ela não existe evangelho do Reino e não existe discipulado. Na graça de Deus existe risco, mas Deus decidiu de “correr estes riscos” a fazer do ser humano uma presa adestrada, um robô, um ser sem sentimento, sem vontade, sem capacidade de escolher ou decidir, mesmo que em muitas vezes faça a escolha errada.

 O ser humano tem dificuldade de agir pela graça porque é egoísta, quer controlar, quer ser melhor que os outros, a exemplo do fariseu que orava no templo, achando que com isso poderia manipular o coração de Deus.  Deus ama o ser humano com suas limitações e fraquezas. E o seu propósito ao se relacionar conosco é nos tornar seres humanos melhores, e não semideuses hipócritas.

Anúncios

~ por celsommachado em 28/05/2010.

3 Respostas to “…humanos ou semideuses…”

  1. Ótimas palavras, Celso. Encontraram ressonância no meu coração. Deus o abençoe. Grande abraço.

  2. mto interessante… Jesus é a maior prova de que Deus é um Deus relacional.
    Temos um Cristo que veio ao mundo ser gente como a gente, que veio ser homem de forma integral, sentindo na pele o que é ser HOMEM.
    Leonardo Boff fala algo interessante: “Jesus foi tão inteiro em sua humanidade, que tornou-se divino”.
    Olhar para essa vontade de Deus de se relacionar, em meio a nossas falhas humanas e limitações verminosas, demonstra q em sua grandeza Deus se preocupa conosco. Aleluia, temos um Deus que traz vida, e vida em abundância, e nos traz relacinamento com Ele, e relacionamento com firmeza da graça grandiosa que nos redime e nos transforma.

  3. Assino em baixo… isso é evangelho…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: